Racionalidade neoliberal e empresariamento da vida em Michel Foucault

  • Igor Corrêa de Barros Universidade Federal de São João del Rei
Palavras-chave: Foucault, Liberalismo, Neoliberalismo, Subjetivação, Biopolítica

Resumo

Este artigo tem por objetivo investigar, à luz dos aportes teórico-metodológicos da genealogia do poder de Michel Foucault, os fatores que levaram à emergência do empresário de si como forma de subjetividade predominante no estágio atual do capitalismo. O neoliberalismo colocou em curso novos processos de subjetivação e produziu um novo modo de o indivíduo relacionar-se consigo mesmo. A normatização da concorrência fabrica indivíduos-empresas e os convida a atuar como tais em todos os níveis de sua existência. O empresário de si é um indivíduo moralmente responsável por conduzir-se pelo campo social, um “átomo” guiado pelos seus interesses próprios. A governamentalidade neoliberal ignora as desigualdades sociais, ao mesmo tempo em que visa defender o mercado e produzir condições sociais favoráveis à reprodução do homo oeconomicus. A análise foucaultiana realizada no curso Nascimento da Biopolítica (1979) nos fornece ferramentas valiosas para a compreensão do empresário de si e da precarização do trabalho como consequências diretas da governamentalidade neoliberal.
Publicado
2021-01-30