"O belo não é, senão, a promessa da felicidade": Marcuse e a negatividade da promessa

  • Francisco Luciano Teixeira Filho Universidade Estadual do Ceará, UECE

Resumo

Apresenta-se o texto Über den affirmativen Charakter der Kultur (Sobre o caráter afirmativo da cultura), de 1937, tomando como chave de leitura a perspectiva da promessa de felicidade de um ponto de vista concreto. Identifica-se a negatividade da promessa de felicidade com relação à realidade como elemento ideológico da cultura. Essa relação pode incitar o movimento revolucionário que, inclusive, pode ser direcionado à própria arte. Palavras-chave: Cultura afirmativa. Promessa de felicidade. Negatividade. Revolução.

Biografia do Autor

Francisco Luciano Teixeira Filho, Universidade Estadual do Ceará, UECE
Possui Graduação e Mestrado em Filosofia pela Universidade Federal do Ceará (UFC). É Doutor em Filosofia na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atualmente é professor efetivo da Universidade Estadual do Ceará e Editor Executivo da Kalagatos - Revista de Filosofia. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Teoria Crítica, Dialética e Marxismo, atuando principalmente nos seguintes temas: Adorno, Marx, Hegel, Filosofia Social e Filosofia Política.
Publicado
2020-02-05
Como Citar
Teixeira Filho, F. L. (2020). "O belo não é, senão, a promessa da felicidade": Marcuse e a negatividade da promessa. Revista Helius, 2(2), 364-380. Recuperado de //helius.uvanet.br/index.php/helius/article/view/102
Seção
Artigos do Dossiê