A eliminação de hipóteses: uma abordagem pragmática

  • Marcos Rodrigues da Silva UEL
Palavras-chave: Inferências eliminativas, Kyle Stanford, História da Ciência

Resumo

De acordo com a grande maioria dos filósofos da ciência, um dos méritos epistemológicos de uma teoria científica bem sucedida é que ela sobreviveu a um processos eliminativo de concorrência; várias teorias se apresentam para solucionar um problema científico, e, após a comparação exaustiva de todas as hipóteses, eliminam-se hipóteses inadequadas, e escolhe-se a que melhor resolve o problema. Esse quadro foi contestado pelo filósofo Kyle Stanford, que argumentou que inferências eliminativas nem sempre ocorrem na ciência, e colocou a seguinte pergunta: por que os cientistas nem sempre consideram conhecimentos disponíveis? De acordo com Stanford, o envolvimento de cientistas que operam em uma teoria é às vezes tão grande que eles sequer conseguem conceber alternativas rivais a suas teorias. Neste artigo, aceita-se a constatação histórica de Stanford (cientistas nem sempre consideram conhecimentos disponíveis), porém é oferecida uma explicação diferente, por meio de uma abordagem pragmática. Será argumentado que, ao considerar a ciência como uma prática científica (e não apenas como um conjunto de teorias compostas de enunciados), certos conhecimentos disponíveis, em certos momentos históricos, são deixados de lado não por uma incapacidade dos cientistas, mas por razões pragmáticas.

Biografia do Autor

Marcos Rodrigues da Silva, UEL
Possui graduação em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1994), mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1996) e doutorado em Filosofia pela Universidade de São Paulo (2003). Atualmente é professor adjunto da Universidade Estadual de Londrina e Bolsista Pesquisador da Fundação Araucária. Atua em Filosofia da Ciência, especialmente nos seguintes temas: realismo científico, história da biologia e ensino de biologia.
Publicado
2021-03-23
Como Citar
Silva, M. R. da. (2021). A eliminação de hipóteses: uma abordagem pragmática. Revista Helius, 3(2, fasc. 3), 1777-1790. Recuperado de //helius.uvanet.br/index.php/helius/article/view/159
Seção
Artigos do Dossiê