O determinismo biológico na hipótese do marcador somático proposto por António Damásio

  • Fernanda Pinguelli Totino de Almeida USP
  • Francisco Rômulo Monte Ferreira IBqM-UFRJ
Palavras-chave: Determinismo biológico, Marcadores somáticos, Livre-arbítrio

Resumo

O objetivo deste artigo é examinar como o trabalho do neurologista português António Damásio sobre a hipótese do marcador somático pode ser compreendido no contexto de uma discussão mais ampla acerca do determinismo biológico. O debate sobre a relação entre o determinismo biológico em oposição ao determinismo social configura um debate secular. Nas últimas duas décadas, algumas propostas têm apontado que os avanços nas pesquisas em Neurociência podem retomar esse debate sobre, principalmente, o comportamento humano. Examinaremos essa problemática na obra de Damásio e a maneira como isso foi direcionado para o conceito de livre-arbítrio.

Biografia do Autor

Fernanda Pinguelli Totino de Almeida , USP
Mestra em Neurociências e Comportamento pela Universidade de São Paulo (2019).
Francisco Rômulo Monte Ferreira, IBqM-UFRJ
Professor de História e Filosofia da Ciência no Instituto de Bioquímica Médica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IBqM-UFRJ). Orientador pleno no Programa de Pós-Graduação em Neurociências e Comportamento no Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (IP-USP) na linha de História e Filosofia da Neurociência.
Publicado
2021-03-23
Como Citar
Almeida , F. P. T. de, & Ferreira, F. R. M. (2021). O determinismo biológico na hipótese do marcador somático proposto por António Damásio. Revista Helius, 3(2, fasc. 3), 1721-1743. Recuperado de //helius.uvanet.br/index.php/helius/article/view/173
Seção
Artigos do Dossiê