Algumas ponderações iniciais sobre o meme e a Memética

  • Gustavo Leal Toledo UFSJ
Palavras-chave: Memes, Memética, Richard Dawkins, Criatividade, Daniel Dennett

Resumo

O presente artigo tem por intuito apresentar o significado original do termo “meme” e a ciência proposta através dele. A Memética visa aplicar os modelos matemáticos, computacionais e conceituais da biologia ao estudo da cultura através de uma analogia do gene com o meme, que seria a unidade de transmissão cultural. Quando proposta, durante o final do século XX, a Memética recebeu várias críticas. Duas destas críticas serão tratadas aqui. A primeira dize respeito ao substrato físico dos memes e a segunda diz respeito ao papel do sujeito livre e da criatividade no processo de escolha e criação de novos memes.

Biografia do Autor

Gustavo Leal Toledo, UFSJ
Graduou-se em Filosofia na UERJ (2002) com a monografia "As Críticas a Filosofia Dualista da Mente". Cursou mestrado em Filosofia na PUC-Rio (2003-2005), obtendo título de mestre com a dissertação "O Argumento dos Zumbis na Filosofia da Mente: são zumbis físicos logicamente possíveis". Fez o doutorado na mesma instituição, onde obteve o título com a tese "Controversias Meméticas: a ciência dos memes e o darwinismo universal em Dawkins, Dennett e Blackmore". Atualmente pesquisa em Filosofia da Mente, Filosofia da Biologia, Filosofia da Ciência, Ceticismo Pirrônico e Filosofia da Religião. É professor da UFSJ desde 2009, lotado no Departamento de Filosofia e Métodos.
Publicado
2021-03-23
Como Citar
Toledo, G. L. (2021). Algumas ponderações iniciais sobre o meme e a Memética. Revista Helius, 3(2, fasc. 3), 1513-1535. Recuperado de //helius.uvanet.br/index.php/helius/article/view/178
Seção
Artigos do Dossiê