Kuhn e a biologia evolutiva de Darwin

  • Robinson Guitarrari UFRRJ
  • Paulo Pirozelli USP
Palavras-chave: Thomas Kuhn, Darwin, Progresso, Evolução, Desenvolvimento Científico

Resumo

Thomas Kuhn usou a teoria da evolução para discutir o desenvolvimento científico em dois momentos de sua produção filosófica: em A estrutura das revoluções científicas, de 1962 (1970a), e em alguns artigos escritos no início dos anos 1990. O objetivo deste artigo é examinar os diferentes propósitos de cada uma dessas aproximações. Entendemos que, na primeira ocasião, o apelo à teoria da evolução tem duas finalidades: mostrar a plausibilidade de uma concepção filosófica de progresso científico sem um fim prefixado; e servir como modelo para uma concepção de desenvolvimento científico. No segundo momento em que tematiza o ponto, Kuhn expande a analogia evolucionária, considerando três outras similaridades entre desenvolvimento científico e biológico: a necessidade de isolamento das comunidades científicas para o desenvolvimento da ciência; a relação mundo-teoria, que passa a ser vista como uma relação de adaptação; e a unidade de desenvolvimento, que assim como na biologia, passa a ser vista como o grupo, em vez do indivíduo.

Biografia do Autor

Robinson Guitarrari, UFRRJ
Possui graduação (1994), mestrado (1999) e doutorado (2004) em Filosofia pela Universidade de São Paulo. Atualmente, é professor adjunto da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Leciona Teoria do Conhecimento, Filosofia da Ciência e Lógica. Interessa-se por racionalidade científica, relativismo cognitivo, epistemologia do testemunho e concepções deflacionistas de verdade. Sua pesquisa examina possibilidades de desenvolver uma concepção relativista da racionalidade científica e suas implicações para uma concepção realista acerca da ciência.
Paulo Pirozelli, USP
Doutor em Filosofia pela Universidade de São Paulo. Mestre (2013) e bacharel (2010) em Filosofia pela mesma Universidade. Foi pesquisador visitante na Universidade Columbia (2016) e no Institute for Quantitative Social Science, na Universidade Harvard (2018). Desenvolve pesquisas em Filosofia e Sociologia da Ciência, com especial ênfase em: Thomas Kuhn, Epistemologia Social, Modelos de Desenvolvimento Científico, Cientometria. Atualmente faz pós-doutorado em Filosofia pela Universidade Federal de Santa Catarina, pesquisando novas metodologias quantitativas que possam ser empregadas em estudos de caso em História e Sociologia da Ciência, como text mining e machine learning.
Publicado
2021-03-23
Como Citar
Guitarrari, R., & Pirozelli, P. (2021). Kuhn e a biologia evolutiva de Darwin. Revista Helius, 3(2, fasc. 3), 1744-1776. Recuperado de //helius.uvanet.br/index.php/helius/article/view/182
Seção
Artigos do Dossiê