Vida e duração em Bergson

  • Fernando Monegalha UFAL
Palavras-chave: Vida, Duração, Tempo, Consciência, Bergson

Resumo

Neste artigo, buscamos analisar alguns dos pontos levantados por Bergson na conferência A consciência e a vida. Bergson propõe nessa conferência que a consciência tem um caráter eminentemente temporal, tendo como características essenciais a memória e a antecipação. Além disso, ele analisa aí a relação entre a futurização, a escolha e a liberdade, e propõe que a consciência transita por diversos níveis intensivos, o que pode ser uma via interessante para se pensar o estatuto da vida em sua filosofia. Para Bergson, quando discutimos sobre a vida, é necessário levar em consideração também seus aspectos psicológicos e metafísicos.

Biografia do Autor

Fernando Monegalha, UFAL
Professor Adjunto II do curso de Filosofia da UFAL (Universidade Federal de Alagoas). Doutorou-se em 2016 pela UFSCAR (Universidade Federal de São Carlos), com uma tese intitulada O atual e o virtual em Bergson e Deleuze. Mestre pela mesma instituição (2010). Graduado pela USP (2006). Atualmente dedica-se a estudar o tema da temporalidade na Filosofia Contemporânea, com especial interesse pela Filosofia bergsoniana e sua confluência com a obra de outros grandes autores do século XX.
Publicado
2021-03-23
Como Citar
Monegalha, F. (2021). Vida e duração em Bergson. Revista Helius, 3(2, fasc. 2), 953-983. Recuperado de //helius.uvanet.br/index.php/helius/article/view/193
Seção
Artigos do Dossiê